NOVO HAMBURGO

19°C

Publicidade

João Amoêdo apresenta na ACI o Novo, partido que não usa recursos públicos do Fundo Partidário

Pré-candidato do Novo foi o segundo a participar da rodada de apresentações na ACI de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha

24 de Abril, 2018 às 20:42

Engenheiro e executivo esteve em Novo Hamburgo na tarde desta terça-feira

A Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI-NH/CB/EV) recebeu, nesta terça-feira (24), um segundo pré-candidato à presidência da República - a eleição é em outubro deste ano. O espaço está aberto a todos os partidos que tenham uma pré-candidatura definida. O Portal Martin Behrend está acompanhando os encontros agendados. A estreia, em 6 de abril, foi com o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL).


O segundo pré-candidato a aceitar o convite da ACI foi João Amoêdo, do Novo. Engenheiro, bancário e executivo, é um dos fundadores da sigla. Diferentemente da presença de Bolsonaro, que atraiu seguidores e inimigos, e forçou o bloqueio de ruas no entorno da ACI para sua chegada, a chegada de Amoêdo foi discreta e não despertou a atenção militantes no Centro.


Dentro da entidade, contudo, o que se viu foi muito interesse do público: o auditório esteve lotado, com cerca de 20 pessoas acompanhando em pé a explanação do pré-candidato. Teve mais gente prestigiando na comparação com a explanação do deputado federal do PSL.


João Amoêdo falou por uma hora sobre sua trajetória, os projetos do Novo e algumas ideias de governo. Foi questionado pela plateia e, num segundo momento, respondeu questionamentos da imprensa. Confira a seguir algumas manifestações de Amoêdo.


Diferenciais do Novo - É o único dos 35 partidos políticos que não usa o Fundo Partidário - quase R$ 1 bilhão por ano de dinheiro público repassado aos partidos políticos; Todos candidatos são Ficha Limpa; Partido baseado em ideias, não em figuras ou no individualismo; Processo seletivo para indicação dos candidatos, com questionários e avaliações; Partido sobrevive com contribuições mensais dos filiados - R$ 29, 00; A favor do corte de privilégios de políticos - redução de 50% ou mais de assessores (vereadores eleitos em capitais cortaram mais de 50% dos assessores).


Publicidade


Tamanho da máquina pública, tamanho dos governos - "O Brasil não precisa de um Estado grande porque é pobre. Ele é pobre justamente por ter um Estado grande. O Estado brasileiro é muito intervencionista e ineficiente. Atrapalha muito. Isso precisa mudar." Ter 10 a 12 ministérios. Reduzir as mais de 150 secretarias nacionais que existem.


Gestores públicos precisam dar exemplo - Quem assume um cargo politico ou público precisa dar o exemplo. Corte de regalias. "Quem chega ao poder precisa ter muita responsabilidade na gestão daquele dinheiro que é de todos os brasileiros". Defende fim do foro privilegiado.


Crescimento econômico - É preciso ter contas do governo zeradas. Equilíbrio das contas públicas é fundamental pro desenvolvimento do país. Defende novo pacto federativo, com mais recursos nas mãos dos estados e dos municípios. É preciso tirar tanto poder de Brasília - reconhece as dificuldades, mas pretende trabalhar para isso. A Reforma da Previdência é urgente, pois o rombo só aumenta. E adequação da carga tributária.


Segurança pública - Integração das polícias. Reforma da Lei da Execução Penal - criminoso sabe que crime compensa. Fim do Estatuto do Desarmamento. Parceiras Público Privadas para construção e gestão de presídios.


Combate à pobreza - É preciso gerar riqueza, gerar mais empregos, ter mais qualidade na educação. É preciso um ambiente mais positivo para geração de desenvolvimento, que vai representar mais oportunidades.


Fórmula para evitar a velha politica de favores e fisiologismo - Colocar as ideias de forma clara. Criar um compromisso com a população, deixando transparente com o Novo atua. Ter bancada expressiva nos Parlamentos, a fim da defesa dos planos de governo e dos compromissos do partido. Manter interatividade com a população, gerando uma construção coletiva.


Projetos sociais - Bolsa Família é um programa de suporte e garante a dignidade das pessoas. Agora, o Estado precisa oferecer saúde e educação de mais qualidade. Nesses serviços, o Estado é falho. Dessa forma, o Estado pode abrir espaço para um novo tipo de gestão. O Estado tem os recursos, mas se contrata gestão profissional. A população, segundo pesquisa realizada na periferia de São Paulo, tem consciência que o maior inimigo dela é o governo, o Estado. A população merece melhor tratamento, até porque a arrecadação de tributos só cresce.


O próximo pré-candidatos confirmado na ACI é:


* Dia 09 de maio (quarta-feira) deverá estar na ACI Álvaro Dias (PV), das 13 às 15 horas. INSCRIÇÕES: http://www.acinh.com.br/evento/encontro-com-pre-ca...

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS