NOVO HAMBURGO

30°C

Publicidade

Arrancada de 2018 é a melhor para Novo Hamburgo em uma década

Projeção para os próximos meses indica inaugurações de obras, aumento de arrecadação, investimentos e melhorias para a comunidade

31 de Janeiro, 2018 às 20:20

UPA Centro está praticamente pronta, aguardando detalhes para ser inaugurada

O ano de 2018 começa de maneira positiva para o município de Novo Hamburgo. É uma realidade desesperadora para alguns hamburguenses que somente reclamam e veem problemas na cidade. Azar da minoria azeda. O fato é que uma conjunção de realidades permite trazer um olhar de esperança, crescimento e melhorias para os hamburguenses.


Entrando no ano dois de atuação, o governo da prefeita Fátima Daudt (PSDB) terá a missão de conduzir a parte administrativa para que esses indicadores representem ganhos diretos para a comunidade – sejam financeiros ou qualidade de vida. Muitas dessas boas notícias foram plantadas em outras gestões e serão colhidas agora. É o que a comunidade mais deseja: independente de quem vai inaugurar, quer investimentos entregues com qualidade e boa prestação de serviços.


A propósito, um dos méritos da prefeita tucana no primeiro ano de mandato envolve a conclusão de investimentos: diferentemente dos prefeitos anteriores, que trancaram ou não levaram adiante projetos milionários para Novo Hamburgo, Fátima priorizou concluir muitas obras em diferentes estágios. Não fez mais que a obrigação, mas na comparação com seus antecessores, mostrou postura mais republicana e eficiente.


O Portal Martin Behrend fez um levantamento de 20 situações de porte ou relevância no município envolvendo saúde, desenvolvimento econômico, esporte, cultura, educação, lazer e infraestrutura, que permitem afirmar: a arrancada de 2018 é a melhor para Novo Hamburgo em uma década. Esta relação poderia ter outras citações, mas pela diversificação de segmentos se optou por 20. Caberá ao governo Fátima Daudt aproveitar essa perspectiva.


Publicidade


- Orçamento histórico da Prefeitura de R$ 1,3 bilhão – Secretaria da Saúde com R$ 228.180.943,00 (17,37% do total) e Secretaria de Educação tendo R$ 220.157.582,00 (16,76%)


- Inauguração da UPA Centro – rua Visconde de Taunay – e do Centro de Especialidades Médicas e Centro de Especialidades Odontológicas no mesmo local. Será a segunda UPA no município – a primeira é a UPA Canudos. A inauguração deveria ocorrer em 2017, mas ficou pra 2018.


- Inauguração da Casa das Artes, antiga Semec 2 – em frente ao Paradão da avenida 1º de Março. Novo e moderno espaço cultural e artístico do município. Inauguração prevista para julho. Mais de R$ 4 milhões (via LIC) da RGE Sul, com contrapartida da Prefeitura.


- Três novas feiras e eventos para o calendário da Fenac: Sinosfest, Reparasul e Sulserve.


- Empresas de Novo Hamburgo do setor calçadista e de máquinas participando de feiras internacionais em São Paulo, Gramado, Estados Unidos, Colômbia e Itália, entre outros locais, com negócios internacionais para o município.


- Consolidação das melhorias do Parcão, com trilhas, praça de esportes e outros investimentos, com recursos do contrato do BID.


- Conclusão da ponte da Avenida dos Municípios, ligando Novo Hamburgo e Campo Bom, numa nova rota de logística para a região. Investimento de R$ 1,4 milhão do governo estadual - após mais de 20 anos de espera.


- Consagração de eventos de rua e em praças, como Ruas de Lazer e Quintas no Parcão. Comunidade hamburguense integrada nas ruas.


- Revitalização da Praça Punta del Este, aguardada há sete anos. Investimento da Trensurb para recuperar espaço.


- Liberação até o primeiro semestre do Teatro Paschoal Carlos Magno, com investimentos e melhorias na segurança e acessibilidade da casa de espetáculos.


- Início da revitalização do Centro de Novo Hamburgo com recursos do contrato do BID - mais de R$ 30 milhões.


- Início das obras do quarto hospital de Novo Hamburgo: o novo Hospital Unimed VS - mais de R$ 100 milhões de investimento.


- Ampliação do I Fashion Outlet. Investimento de R$ 75 milhões e a geração de mais de 1.000 empregos (diretos e indiretos). O projeto foi aprovado na Prefeitura, mas a empresa prefere não confirmar início das obras.


- Consolidação da revitalização do Parque Floresta Imperial, recuperado e sob cuidados da Comusa.


- Sequência de investimentos da Comusa: R$ 36 milhões para substituir canos de redes de água no período 2017-2020.


- Dezenas de escolas recebendo investimentos e melhorias que foram ignoradas e esquecidas por anos no famigerado Orçamento Participativo das gestões anteriores.


- Conclusão e inauguração de duas novas Unidades de Saúde da Família (USF).


- Funcionamento efetivo e integral do Centro Integrado de Especialidades em Saúde (CIES), com investimento de R$ 16 milhões da Universidade Feevale e atendimento aos pacientes do SUS, convênios e particulares.


- Recuperação parcial do Ginásio Alberto Mosmann (Ginásio da Fenac), que foi abandonado nos últimos anos e ficou interditado na gestão anterior. Recursos de emenda do deputado João Derly (Rede) e contrapartida da Prefeitura.


- Início da organização para tirar do papel o Centro de Inovação e Tecnologia (CIT), ao lado da Fundação Liberato Salzano Vieira da Cunha. O CIT será um espaço de implantação de centros de pesquisa e ensino, empresas da indústria criativa, microeletrônica e softwares.


A reportagem não falou em segurança. É provável o item número um ou dois de prioridades da comunidade. A Prefeitura pode investir em mais integrantes para a Guarda Municipal, novos equipamentos e tecnologia. Agora, enquanto o governo do Estado seguir parcelando salários e humilhando os servidores da segurança, além de não abrir vagas em presídios de forma adequada, e os senadores e deputados federais não mudarem a legislação que favorece os bandidos, a violência pode até diminuir, mas longe do necessário.


Para se ter mais segurança, é preciso que governo federal e governo estadual invistam muito mais, e cabe ao município complementar com seu efetivo, sua estratégia e sua competência. Até porque, do que adianta prender 300 bandidos se não têm vagas em presídios? Eles voltam pras ruas e pro crime. Triste realidade. O esforço dessa pauta é extremamente coletivo.


PS: Com tantas oportunidades e milhões sendo investidos no município, que as ruas e vias recebam mais e melhor asfalto. A buraqueira e a lentidão pra tapar as crateras assusta, incomoda e traz prejuízos. A Prefeitura pode planejar recuperar 30 a 40 ruas por ano, criando um calendário e evitando o descaso das gestões anteriores, que esqueceram de fazer a manutenção em centenas de vias.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS