NOVO HAMBURGO

34°C

Publicidade

Encontrei cobra, pássaro ou tartaruga feridos: o que fazer? Técnicos ambientais recebem orientações

Além dos funcionários de Ivoti, estiveram presentes representantes das secretarias de Canela, Bento Gonçalves e Lindolfo Collor

25 de Janeiro, 2018 às 14:27

Encontro foi oportuno para destacar como proceder em caso de acidentes com os animais. Divulgação

O município de Ivoti sediou o curso “Resgate de fauna: teoria e prática”, ministrado pela bióloga Renata Cardoso Vieira, ex-funcionária da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Porto Alegre, na terça-feira, dia 23, junto ao miniauditório da Prefeitura. A profissional tratou da fauna silvestre da região e como proceder em caso de acidentes com os animais, orientações aos munícipes, resgates e licenciamento ambiental. Além dos funcionários de Ivoti, estiveram presentes representantes das secretarias de Canela, Bento Gonçalves e Lindolfo Collor.


Segundo a analista ambiental Maiara Oliveira, com a chegada da primavera/verão, crescem o número de moradores que procuraram para tratar do que fazer com a fauna. “Notamos, inclusive, muitos conflitos urbanos e resolvemos organizar este curso para entender em quais momentos deveríamos interferir de fato ou apenas realizar a educação ambiental”, informa.


Na parte da manhã, a ministrante explicou sobre como proceder com cada grupo de animal, principalmente aves, répteis e mamíferos. Durante a tarde orientou questões de licenciamento e fiscalização, como por exemplo o que solicitar em laudos de fauna e como proceder em situações de cativeiro ou contrabando. “Esta dificuldade de lidar com os animais silvestres pela população é decorrente da falta de conhecimento, daí a importância em orientarmos”, disse a licenciadora Sarah Peixe.


Sarah aprovou especialmente a explicação sobre as serpentes. “Recentemente encontramos uma cobra atirada na frente da Secretaria de Meio Ambiente. Ela estava morta com a cabeça esmagada. A pessoa que a matou infelizmente não sabia que a cobra era uma Dormideira Cinzenta (Sibynomorphus cf. Neuwiedi), a qual não tem veneno nenhum, não é agressiva e alimenta-se apenas de lesmas”, explicou. “A cobra, na verdade, estava cuidando do jardim do munícipe! Porém, a simples visão do animal causou tanto medo que este não pensou duas vezes antes de matá-la.” continuou a licenciadora.


EM BUSCA DA CONVIVÊNCIA HARMÔNICA


A palestrante reiterou que não é preciso ter medo dos animais, apenas respeito. “É necessária a convivência harmônica com a fauna no meio urbano”, disse. Ela passou ainda 3 dicas fundamentais: 1) Não acariciar ou brincar com o animal silvestre, apenas deixá-lo e ele seguirá seu caminho. 2) Não tratar o animal machucado, pois isso acaba agravando a situação dele em 90% dos casos. 3) Quando realmente necessário o manuseio, fazer somente com o uso de luvas. “Muitos animais silvestres podem ser vetores de doenças que passam ao ser humano, como pássaros ou até mesmo as tartarugas, portanto não devemos tratá-lo como um animal doméstico”, disse Renata.


A Secretaria de Meio Ambiente tem se organizado para aquisição de equipamentos e treinamentos para resgate de alguns tipos de animais selvagens, entretanto muitos deles continuarão como responsabilidade de outros órgãos, como Patram, Vigilância Sanitária e Bombeiros, como é o caso de abelhas, aracnídeos, animais de tráfico e aqueles que são vetores de doenças relacionadas à saúde pública.

“Uma das dificuldades percebidas no município de Ivoti no quesito resgate de animais silvestres é a ausência de ONGS e clínicas veterinárias especializadas em silvestres para parcerias, já que isso é uma das principais ferramentas com as quais a SMAM conta para atuar em Porto Alegre”, aponta Maiara.


Assessoria de Imprensa/Prefeitura de Ivoti


RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS