NOVO HAMBURGO

30°C

Publicidade

Você escolhe: “Brasil, o País do futuro” ou “Brasil, o País COM futuro”

Até quando aceitaremos votar nos mesmos, apesar dos escândalos recorrentes? Até quando acreditaremos em promessas que NUNCA são cumpridas?

16 de Janeiro, 2018 às 16:30

Na minha infância - nos idos dos anos 70 - sempre ouvia dizer que o Brasil seria o País do futuro. Antes e depois da Copa do Mundo de 1970 cantávamos várias músicas ufanistas, entre elas “Esse é um País que vai pra frente”.


Na adolescência e início da fase adulta, ainda sob o regime militar, o ritmo - bem como a situação política do País - já não eram os mesmos. O Brasil rumava para a redemocratização e o rock nacional estava querendo ocupar o mercado, mas a proposta de que o “futuro" estava logo ali adiante continuava, bem como um presságio… que nos persegue até hoje.


A Legião Urbana com “Que País é esse?”, em 1987, alardeava que “ninguém respeita a Constituição, mas todos acreditam no futuro da nação”.


Mas antes deles, ainda em 1983, podíamos ouvir a banda “Ultraje a rigor” gritando - em sua música “Inútil" - que “a gente não sabemos escolher presidente”. Fico me perguntando se o Roger (vocalista e compositor do grupo) era vidente ou - o pior - nos rogou essa praga!


Já na virada do milênio - ainda sob os holofotes do Mensalão em 2005 - os Titãs lançaram “Vossa Excelência”, na época rechaçada com veemência pelos parlamentares e inclusive muito pouco tocada nas rádios e TVs, mas que hoje é tão atual quanto quando foi lançada.


Em 2017, Gabriel o Pensador apresentou “Tô Feliz (Matei o Presidente)2”, incríveis 25 anos - e cinco presidentes depois - de ter lançado “Tô Feliz (Matei o Presidente), na época uma “homenagem" a Fernando Collor no auge de seu impeachment em 1992!


Publicidade


Até quando aceitaremos votar nos mesmos, apesar dos escândalos recorrentes? Até quando acreditaremos em promessas que NUNCA são cumpridas? Até quando acompanharemos os políticos se manterem no poder, aumentando seus salários/privilégios e os do que os cercam, enquanto convivemos com pobreza, violência e milhões de desempregados?


Até quando Mensalões, Petrolões, empréstimos duvidosos do BNDES, apartamentos com milhões de reais e dólares guardados em espécie, malas com dinheiro correndo pelas calçadas, gravações em garagens palacianas, triplex, sítios em Atibaia - e por aí vai - deixarão você estagnado e sem entender que não existem salvadores da pátria? “Até quando esperar”, como já cantava a Plebe Rude em 1985?


Pare e pense se, nesse exato momento, existem pessoas como você - indignadas - defendendo propostas totalmente diferentes das que estamos acostumados (ou sendo obrigados) a ver.


Será bem melhor você fazer uma escolha acertada - em 2018 - do que esperar que uma Anitta ou um Pablo Vittar criem alguma canção tão boa e significativa para empurrar, por mais alguns anos, o já ancião refrão de “o País do futuro”.


Enquanto pensa, escute todas as músicas!


"Esse é um País que vai pra frente" https://www.youtube.com/watch?v=SVmQ-YPM4KI

“Que País é esse?” https://www.youtube.com/watch?v=CqttYsSYA3k

“Inútil" https://www.youtube.com/watch?v=qxRRxN5Lx3o

“Vossa Excelência” https://www.youtube.com/watch?v=KV1_QQ5vj1ghttps://www.youtube.com/

“Tô Feliz (Matei o Presidente)2” https://www.youtube.com/watch?v=cBiKePi3QMY

“Até quando esperar” https://www.youtube.com/watch?v=Hau9i7FiVfM

Autor

Ricardo Gusmão

Saiba mais

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS