NOVO HAMBURGO

27°C

Publicidade

Licitação do lixo, licitação do transporte público e UPA Centro: por que essas pautas ficaram para 2018?

Portal Martin Behrend ouviu Prefeitura de Novo Hamburgo sobre atrasos em três importantes áreas do serviço público

25 de Dezembro, 2017 às 18:05

Prédio da UPA do Centro está precisando de ajustes técnicos para ser liberado

Transporte público, recolhimento e destinação do lixo e atendimento na saúde. Essas áreas citadas são essenciais e fundamentais para a boa prestação do serviço público num município. Em 2017, a comunidade de Novo Hamburgo ficou atenta ao noticiário envolvendo a nova licitação do transporte coletivo – que se arrasta há sete anos –, a licitação e novo contrato para o recolhimento e destinação do lixo/resíduos e, ainda, a inauguração da UPA do Centro, localizada na rua Visconde de Taunay, nos fundos do Bourbon Shopping.


Em diversos momentos ao longo do ano, estes três assuntos foram encaminhados para se tornar realidade. Houve anúncios e datas foram projetadas. Contudo, essas três demandas não se materializaram neste ano. O que ocorreu? Por que os atrasos? Quais as explicações do governo Fátima Daudt (PSDB) para essas dificuldades?


O Portal Martin Behrend foi em busca de esclarecimentos. As informações foram prestadas pelo assessor jurídico especial da Prefeitura, Ruy Noronha, e também por outras fontes ligadas à administração consultadas pela reportagem.


UPA CENTRO


Em setembro de 2017, o Portal Martin Behrend publicou sabatina com o vice-prefeito e secretário da Saúde, Antônio Fagan. Na oportunidade, a inauguração da UPA Centro estava prevista para novembro: http://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/i...


Contudo, o espaço ainda não está atendendo a comunidade. A informação obtida é que detalhes técnicos dos prédios impediram a utilização do espaço. O corpo de servidores está praticamente definido, e não seria o problema. A nova previsão é que em fevereiro ou março de 2018 a UPA Centro passe a atender aos hamburguenses.


Publicidade


LICITAÇÃO DO TRANSPORTE PÚBLICO


A licitação se arrasta desde o governo Tarcísio Zimmermann (PT). O petista chegou a divulgar edital, mas o processo não evoluiu por problemas técnicos. No governo Luis Lauermann (PT), nada ocorreu. A prefeita Fátima Daudt assumiu em janeiro deste ano e priorizou o assunto. O setor Jurídico da Prefeitura trabalhou na pauta, no entanto, houve a necessidade de ajustes no texto. “Estamos adotando a cautela para evitar disputas judiciais depois que abrirmos o processo licitatório”, explica Ruy Noronha.


Ele destaca que a Prefeitura vem mantendo uma relação transparente com as seis empresas/consórcios interessados em explorar o transporte público no município. Um dos motivos do atraso envolve uma falha interna da Prefeitura, que foi questionada sobre a administração de valores que já foram comprados e pagos antecipadamente pelos passageiros. “Essa era uma situação que não estava prevista. Afinal, tem usuário que compra e paga antecipadamente. E quando uma empresa assumir, como ficará essa situação: a empresa que opera atualmente recebeu o valor, mas, eventualmente, outra empresa irá transportar esse passageiro. Foi preciso criar uma regra de transição. São esses detalhes que precisam ser ajustados”, explica.


LICITAÇÃO DO RECOLHIMENTO DO LIXO


A definição da empresa responsável pelo recolhimento e destinação do lixo/resíduos em Novo Hamburgo também ficou para o próximo ano. Assim como ocorreu com o transporte coletivo, a Prefeitura vem optando pela cautela para que o edital não permita contestações. “Mais de 20 empresas nos procuraram para pegar informações e tirar dúvidas. E a partir disso, percebemos algumas discrepâncias no texto apresentado. Temos a preocupação em manter o menor preço possível com a melhor qualidade. É por isso que estamos atentos aos detalhes”, comenta Ruy.


Mas, qual o limite da cautela do Poder Executivo? Até quando a Prefeitura ficará ouvindo e ajustando os editais? Segundo Noronha, no começo do próximo ano essas licitações deverão estar sendo realizadas. Uma previsão realista é fevereiro de 2018. “É importante que a comunidade saiba que estamos alinhando esses pontos para exatamente evitar direcionamentos que possam favorecer determinados interessados”, completa.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS