NOVO HAMBURGO

27°C

Publicidade

O ano de 2017 no esporte do Brasil e do mundo

Nas diferentes modalidades esportivas muitas surpresas, recomeços e confirmações de expectativas

25 de Dezembro, 2017 às 17:22

Novo Hamburgo campeão Gaúcho, Grêmio tri da América; Roger Federer, Usain Bolt e Neymar. Fotos Divulgação

O ano de 2017 está terminando e encerra também uma temporada esportiva, em suas mais diversas modalidades, que foram marcadas por algumas surpresas positivias, alguns fatos negativos, com uma movimentação característica de cada esporte. Com certeza não vamos lembrar neste texto de todos os acontecimentos relevantes, mas sim aqueles que mais marcaram ao nosso redor ou simplesmente aqueles que mais chamaram nossa atenção.


O mais importante e mais bonito de se ver foi a volta por cima de Alan Ruschel, Jacson Follmann, Neto e Rafael Henzel, quatro sobreviventes do fatídico desastre aéreo com a Chapecoense, que retomaram suas atividades e emocionaram o mundo todo.


Aqui em nossa aldeia, não podemos esquecer do feito inédito conquistado pelo Esporte Clube Novo Hamburgo com o título do Gauchão. Para todos os amantes de futebol, principalmente de futebol jogado fora dos grandes holofotes, foi muito significativa a conquista do Noia. Além de elevar o patamar do clube, mostra que o futebol sem cifras exorbitantes pode ser bem jogado e vitorioso.


A retomada da carreira vitoriosa de Roger Federer também foi significativa para quem acompanha o tênis e valoriza o esporte bem jogado. Mesmo se encaminhando para o fim de carreira, conquistou títulos importantes e mostrou que é o maior atleta da modalidade de todos os tempos.


Publicidade


Voltando ao futebol, vale lembrar da confirmação de expectativa sobre o bom futebol desenvolvido pelo Grêmio com a conquista do tricampeonato da Taça Libertadores da América e o vice-campeonato do Mundo. O tricolor confirmou a boa fase iniciada ainda em 2016 e se consolidou em 2017 com grandes atuações.


Ainda falando de futebol, não podemos deixar de lembrar da nossa seleção brasileira e da retomada do bom futebol jogado com a chegada do gaúcho Tite. Com atuações de encher os olhos, os comandados de Adenor deixam-nos com esperança de sermos hexacampeões no Mundial da Rússia em 2018.


A despedida da lenda jamaicana Usain Bolt também marcou o ano de 2017. O corredor mais rápido da história encerrou sua carreira de conquistas deixando uma marca histórica de um campeão com grande talento e carisma.


O ano de 2017 também foi relevante para o vôlei. Sem o comando do multicampeão Bernardinho, criou-se uma expectativa muito grande sobre o futuro da vitorioso da seleção masculina de voleibol. Sob o comando do leopoldense Renan Dal Zotto, os meninos voaram alto e mantiveram as atuações vitoriosas de anos anteriores.


Tivemos ainda outros fatos relevantes no esporte como a virada histórica do New England Patriots sobre o Houston Texas na final da Liga Norteamericana de Futebol Americano e a confirmação da qualidade do basquete desenvolvido pelo Golden State Warriors no basquete profissional americano. Vale lembrar que o Brasil e principalmente os gaúchos conheceram uma nova força no futsal com o vice-campeonato nacional da Assoeva de Venâncio Aires.


Publicidade


Mas não foram só notícias boas que o esporte proporcionou em 2017. Os escândalos de corrupção envolvendo os cartolas do futebol ficaram ainda mais evidentes, provando que não é apenas na política que as falcatruas aparecem. A negociação de Neymar Jr., envolvendo cifras milionárias, e a não entrada em campo de jogadores por falta de pagamento, mostrou o triste e enorme contraste existente no mundo da bola, provando que talvez uma regulação financeira poderia ser pensada para valorizar todos os esportistas.


Ainda na linha financeira, a desistência de muitos atletas de várias modalidades, por falta de apoio para continuar a prática esportiva, mostrou que os governos podem pensar sim em algum tipo de financiamento para atletas, ao mesmo tempo que precisam tratar o esporte como ferramenta de transformação social desde o início do desenvolvimento humano da população.


Todos estes fatos, sejam eles positivos ou negativos, alegres ou tristes, mostram que a prática esportiva ou mesmo o acompanhamento das atividades pela população, são relevantes para a vida cotidiana e esperamos que no ano que logo se inicia permita apenas momentos de glória e satisfação para crianças, jovens, adultos e idosos de todos os povos e nações.

Autor

Cássios Diogo Schaab

Saiba mais

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS