NOVO HAMBURGO

35°C

Publicidade

A desinformação mentirosa de Leonardo Hoff curtida por seus admiradores

Leonardo Hoff só pode estar atordoado pelo aumento de 30% da tarifa de energia elétrica da CEEE

20 de Dezembro, 2017 às 13:32

Hoff no período em que atuou e defendeu o governo Dilma: a culpa pelo aumento da energia é do governo Dilma! Divulgação

O ex-vereador de Novo Hamburgo e atual diretor da CEEE, Leonardo Hoff (Progressista), não gostou de ver seu nome relacionado com o aumento de 30% (TRINTA) na tarifa de energia elétrica da CEEE. Ontem, o Portal Martin Behrend publicou a notícia lembrando que Hoff é um dos principais diretores da companhia, recebendo um generoso salário de cerca de R$ 15 mil a cada mês. Eis a notícia: http://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/i...


Essa lembrança de que Hoff está ligado a esse assalto ao bolso de mais de R$ 1,5 milhão de gaúchos – muitos do Vale do Sinos, que vão para o Litoral Norte e Litoral Sul, e pagarão este absurdo reajuste – deve ter deixado o antigo aliado do PT atordoado. Isso porque ele publicou um comentário no Facebook com mentira e contradições. Para que a verdade seja restabelecida, vamos ajudar o diretor da CEEE e informar corretamente os fatos.


Escreveu Leonardo Hoff: “O jornalista Martin Behrend vem me atacando sistematicamente”.

Atacando? Crítica e opinião, para o quarto colocado na eleição municipal de 2016, é ataque. Isso só prova que, não sabendo lidar com críticas e opiniões, não está pronto para comandar uma cidade do porte de Novo Hamburgo. Sistematicamente? Neste ano, não foram nem dez notícias com destaque para Hoff no Portal Martin Behrend. Logo, equívoco de avaliação.


Escreveu Leonardo Hoff: “Talvez as altas cifras investidas pela Prefeitura nos veículos onde o jornalista trabalha”.

Esta informação foi mexida ao longo do dia, então, não sei o que está valendo. Mas vamos lá: Quais valores? Quais empresas? Sou apenas prestador de serviços em diferentes empresas. Não vendo, não tenho PPR, não tem comissão ajustada. Ah, no Portal Martin Behrend, aí sim, a Fenac divulgou o Fenac Festival. Valor pago por um banner: R$ 219,52 (duzentos e dezenove reais reais, e cinquenta e dois centavos)! Ah, e ainda foi para divulgar um evento da Fenac. Será que alguém é contra divulgação de eventos da Fenac e prefere que não se anunciem eventos para que o público não venha e as promoções do município quebrem?


Leonardo Hoff escreveu: “Talvez porque ele vem sendo remunerado por trabalhos free lancer em apresentações na FENAC”.

Trabalhos, Hoff? Quantos foram? 2, 10, 50? De quantos trabalhos sou acusado? Ah, pois é. Realizei UM trabalho de mestre de cerimônias para a Fimec 2017. Valor recebido: R$ 416,50. Aliás, grande economia da Fenac, que na gestão do PT – antigo aliado de Hoff – pagava mais de R$ 1 mil e ainda trazia profissional de fora do município. Logo, a Fenac economizou mais de 50% e ainda valorizou profissionais da cidade. Um trabalho. Um. Não foram trabalhos como escreveu de forma mentirosa e desinformada o diretor da CEEE. Ou será que o ex-vereador, se um dia for prefeito, vai colocar um funcionário sem experiência para apresentar um evento internacional, com mais de 40 edições?


Publicidade


Leonardo Hoff escreveu: “Talvez isto o faça ficar “meio-muito tendencioso” e enxergar só defeitos em quem critica a prefeita por seu governo pífio.”

Opinião do diretor da CEEE. Discordo da opinião "meio-muito tendencioso", mas é a opinião do diretor da CEEE. Discordo e considero sem fundamento.


Leonardo Hoff escreveu: “Os preços absurdos são fruto de uma política energética equivocada ainda pagando as decisões equivocadas do Governo Dilma Rousseff.”

Leonardo Hoff foi diretor da Trensurb no governo Dilma Rousseff. Foi aliado de Dilma e do PT. Ele estava no governo e via tudo acontecendo. Se discordava dessa barbaridade, poderia ter saído. Mas ficou lá bom tempo com alto salário. Agora, coloca a culpa no governo que integrava. Não entendi.


Não tenho nada pessoal contra Leonardo Hoff. Já tomamos alguns cafés juntos, levei conselhos políticos, recebi ele e sua mulher – atual assessora do vereador Fernandinho (SD) – aqui no meu apartamento. Pessoalmente, nada tenho contra. Quando o casal se acidentou em Santa Catarina, publiquei notícia para tranquilizar familiares.


Agora, como figura pública, faço minhas críticas e apontamentos. Essa é uma situação que incomoda os políticos: os jornalistas costumam relembrar atitudes e comportamentos. Jornalista costuma registrar muitas coisas. E isso incomoda alguns políticos. Para Hoff, o melhor seria os jornalistas ignorarem que a CEEE vai aumentar a tarifa em 30% e que isso vai quebrar empresas e famílias. E o perfeito seria abafar que um dos diretores da companhia é o ex-vereador de Novo Hamburgo. Agora, graças a um jornalista, as pessoas sabem mais um pouco sobre a trajetória de uma liderança política do município.


Quem tem planos de fazer carreira na política precisa estar preparado para críticas e opiniões. Se confunde isso com ataque, é sinal que não está preparando para novos voos. Hoff tentou vincular meu trabalho a ganhar publicidade da Prefeitura. Errou feio – e ainda mentiu. Imagino que para ele fazer essa relação, deve ser uma prática nos lugares onde passou. Mediu com a sua régua. Contudo, informo que não recebo verba de Prefeitura no meu Portal. Aceito apenas mídia para divulgação de eventos, naturalmente, para ajudar a promover e movimentar a economia. De Prefeitura e Câmaras de Vereadores até recebo propostas, agradeço, não aceito e vida que segue.


A comunidade gaúcha gostaria de ter opiniões claras de Hoff sobre governo Sartori, que ele integra e defende: reajuste de 30% da CEEE, caos na segurança pública, falta de presídios, salários dos servidores parcelados e reiteradamente atrasados, reajuste da tarifa da EGR, atrasos nos repasses para hospitais públicos... Tudo do governo Sartori, onde Hoff atua. Com certeza, os gaúchos não querem saber a opinião do diretor da CEEE sobre este jornalista.


Agora, é esperar o pedido de desculpas de Hoff e de seus seguidores – foram mais de dez – que curtiram a publicação com informação mentirosa. É o mínimo que se espera de um gestor público e de alguns cidadãos que “zelam” pela correção e moralidade dos atos.

Autor

Martin Behrend

Saiba mais

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS