NOVO HAMBURGO

26°C

Publicidade

Orquestra de Sopro Eintracht apresenta espetáculo Andante no Teatro Feevale

Entrada é franca e os ingressos devem ser retirados na bilheteria do Teatro ou no quiosque da Feevale do Bourbon Shopping de Novo Hamburgo

03 de Novembro, 2017 às 16:49

Espetáculo tem 27 instrumentistas, um grupo vocal com 12 vozes, dois atores e um solista. Elson Sempé Pedroso/Divulgação

Na próxima semana, a Orquestra de Sopro Eintracht apresenta espetáculo Andante no Teatro Feevale. São 27 instrumentistas, um grupo vocal com 12 vozes, dois atores e um solista. Será uma única apresentação em Novo Hamburgo, no dia 8 de novembro (quarta-feira), às 20 horas. A entrada é franca e os ingressos devem ser retirados na bilheteria do Teatro ou no quiosque da Feevale do Bourbon Shopping de Novo Hamburgo.


O concerto, que integra o Projeto Música nas Comunidades – Ano XII, terá a direção de Fernando Ochôa, regência de Ademir Schmidt e participações especiais de Cláudio Veiga, Carina Rippel e do Coral da Escola de Arte-Educação de Campo Bom. A entrada é franca, mas pede-se a doação espontânea de alimentos não perecíveis para Assistência Social de Campo Bom.


Segundo a coordenadora de projetos e produção da Eintracht, Hebe Cardoso, o tema definido abrange o reconhecimento do Brasil como lugar de pertencimento. “Ao sul do mundo, aonde colonizadores, escravos e imigrantes chegaram, fosse por vontade própria, pela força ou pela necessidade, e aniquilaram os nativos, reduzindo-os a exótica caricatura dos trópicos. Cada um a seu modo sobreviveu entre dificuldades e possibilidades, tornaram-se pessoas de um só lugar, um só povo, o povo brasileiro”, disse.


Para ela, esse povo latino, ao sul do mundo, como indicam os mapas, insiste em olhar para si, como um povo subalterno ao norte. “Porém, há uma cultura que os torna únicos, há o contato físico que os move ao abraço e à luta, há um riso, há um choro, há um canto. É necessário olhar esse lugar, a partir dele mesmo, sem o filtro do norte, sem comparações, apenas olhar a força da diversidade brasileira”, explicou.


Hebe diz ainda, que o espetáculo inspira-se em artistas, obras, saberes e fazeres populares. Um caminho inspirador foi a obra do uruguaio, Joaquín Torres Garcia, América Invertida, que propõe a inversão do mapa, de forma que a ponta da América do sul esteja direcionada para o norte, para que possamos pensar a partir do nosso lugar. Nas palavras do artista - O sul é nosso norte.


Publicidade


O diretor do concerto, Fernando Ochôa comenta, que o concerto se constrói olhando a cultura brasileira a partir de sua latinidade. “O Brasil latino americano, o Brasil do afeto, da cor, da alegria, da fé, da intensidade. As obras dos artistas, Arthur Bispo do Rosário, Hélio Oiticica, Tunga e do Profeta Gentileza inspiram a incorporação das vivências populares, das experiências afetivas, das expressões e das práticas coletivas”.


FICHA TÉCNICA


Coordenação de Projetos e Produção: Hebe Cardoso

Realização: Centro Cultural Eintracht

Regência: Ademir Schmidt

Direção: Fernando Ochôa

Assistente de Direção: Carina Rippel

Solista: Cláudio Veiga

Elenco: Carina Rippel e Cláudio Veiga

Roteiro: Hebe Cardoso, Carina Rippel e Fernando Ochôa

Arranjador: Davi Coelho

Engenheiro de Som: Thomas Dreher

Designer de Luz: Fernando Ochôa

Imagens: Acústica Vídeo Som

Fotografia: Elson Sempé

Arte Gráfica: Bruna Ribeiro de Quadros

Montagem e apoio de palco: Miguel Bastos

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS