NOVO HAMBURGO

29°C

Publicidade

A votação

Sou a favor da transparência, do fim dessa corja nojenta que se perpetua no poder há muitos anos

28 de Outubro, 2017 às 17:31

Pela segunda vez, o presidente Michel Temer teve apoio de muitos deputados e escapou de investigação. Divulgação

Tive a paciência de assistir a uma grande parte da votação sobre continuidade do processo contra o presidente Michel Temer, agora, ou só depois de findado o mandato. Ou seja, SIM para quem queria que parassem as investigações agora, e NÃO para quem queria que as investigações continuassem, e, portanto, teríamos de ter novo presidente dentro de poucos dias.


E sou a favor da transparência, do fim dessa corja nojenta que se perpetua no poder há muitos anos, e a qual o Lula se enfileirou com muito louvor, deixando a corja ainda mais suja e nojenta. Que o “sócio” Temer tenha desembarcado da “sociedade” ao qual foi alçado pela votação dada a Dilma Rousseff, para mim é traição. Não tem outra palavra.


Mas como não se sabe que articulações macabras e de retrocesso estejam por detrás de uma mudança de governo, nesse momento, e como precisamos ter um pouco de paz para podermos trabalhar, também eu teria votado pelo SIM.


Mas algumas coisas me chamaram muito a atenção:


- Politico não pode ver um microfone, que já quer fazer discurso! Ainda mais com a visibilidade nacional dada ao fato. Até parecia que o voto era o de menor importância. Valia mesmo era ser protagonista da “novela do dia”!


- Que por isso a delimitação de tempo por deputado foi ótima. A ponto de tirarem a voz do ar a quem não fosse objetivo.


Publicidade


- Que aqueles que votaram de acordo com orientação do partido, podem ter votado contra a sua própria consciência, mas mantiveram um trabalho de grupo, o que por um aspecto é ruim mas, pelo outro, tem também o seu lado positivo.


- Que tenha tido um só voto de abstenção é positivo, porque ao menos nossos representantes no poder, tem lado, e estão mostrando a cara.


- Que quase todas as mulheres votaram pelo NÃO.


- Que a nossa deputada e ex-governadora, Yeda Crusius (PSDB), esteve ausente.


- Que não entendi qual a ordem de chamada dos deputados: por Estado? Estados em ordem alfabética não foi. Se alguém puder me explicar, agradeço.


- Que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, parecia calmo, mas volta e meia um músculo do rosto se mexia involuntariamente, numa demonstração que a calma era só aparência.


- Que não entendi a alegria da vitória do SIM, porque as investigações foram só prorrogadas. Os fatos que envergonham o Temer & Cia continuam la, esperando o tempo certo. Fico na torcida de que as traças não acabem com os fatos.

Autor

Edela Land

Saiba mais

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS