NOVO HAMBURGO

38°C

Publicidade

Escritor Henrique Schneider é atração em eventos na Europa e terá duas obras reeditadas no Brasil

Hamburguense participará de festival sobre cultura gaúcha em Paris e lê contos em Berlim

18 de Setembro, 2017 às 09:33

Henrique Schneider destaca a reedição de duas obras. Thaís Lehmann/Divulgação

O mês de setembro tem sido de boas notícias para o escritor Henrique Schneider. O hamburguense foi informado que duas de suas obras terão novas edições em breve. A Bertrand Brasil, que faz parte do Grupo Editorial Record (Rio de Janeiro), lançará a sua terceira edição de O Grito dos Mudos, originalmente publicado pela L&PM em 1989, e a segunda de Contramão (2007). “No momento em que a situação econômica e cultural do Brasil está nesta penúria, a editora querer reeditar um livro já é ótimo – dois, então, nem se fala”, comemora Schneider. A expectativa é de que as novas edições sejam lançadas em outubro.


Além disso, Schneider está com agenda marcada para compromissos na Europa, onde participará de atividades através da sua contribuição para a literatura. Nos próximos dias, o escritor gaúcho é atração em dois eventos que ocorrem em Paris, na França, e em Berlim, na Alemanha. Ambos têm relação com as embaixadas brasileiras nos países europeus e visam a elevar a cultura gaúcha.

No dia 23 de setembro, a Associação Sol do Sul, de Paris, recebe Schneider ao lado das escritoras brasileiras Mazé Torquato Chotil e Selma Nanci Feltrin (também gaúcha). Ele falará sobre o livro “Contramão”, cujo cenário da trama é justamente o sul da região sul. O título da quinta edição do evento promovido pela associação mantida por brasileiros com apoio da embaixada brasileira na França é “Festival Cultural do Sul do Brasil”. O programa prevê ainda uma conferência sobre cultura gaúcha e conversas sobre churrasco e chimarrão.


Publicidade

Na semana seguinte, a 28 de setembro, o escritor gaúcho lê alguns dos contos que publicou na coletânea “A vida é breve e passa ao lado” na agenda cultural da embaixada brasileira em Berlim. O evento, que terá também um bate-papo sobre literatura, é uma cooperação entre a própria embaixada, A Livraria (livraria mantida por brasileiros em Berlim) e a Sociedade Brasil-Alemanha.


Henrique Schneider comemora a possibilidade de dialogar com brasileiros no exterior e, em especial, com os públicos europeus. “Num momento em que o Brasil retrocede tanto na cultura e na arte [fazendo referência à repercussão internacional do cancelamento da exposição Queermuseu em Porto Alegre], é uma oportunidade ímpar elevar um pouco nossas brasilidades no exterior”, argumenta. Com informações de Felipe de Oliveira.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS