NOVO HAMBURGO

30°C

Publicidade

Farmacêutico destaca: probióticos atuam no combate à ansiedade, depressão, doenças da pele e diabetes mellitus tipo 2

A suplementação de probióticos pode auxiliar em várias patologias. Eles também são importantes na gestação e lactação

22 de Agosto, 2017 às 10:27

Os probióticos são importantíssimos na gestação e lactação. Divulgação

A maioria das pessoas sabem que as bactérias estão em todo nosso organismo, e que podem causar doenças. O que poucos sabem é que dependendo da espécie da bactéria e da parte do corpo em que elas estão alojadas, são benéficas e aliadas à nossa saúde. Estas bactérias são chamadas de probióticos. “Entre suas indicações os probióticos atuam no combate à ansiedade, depressão, doenças da pele, diabetes mellitus tipo 2 e, recentemente pesquisadores descobriram que eles também agem contra a resistência periférica a insulina e obesidade”, destaca o farmacêutico Eduardo Huyer, da Proderma Farmácia, em Novo Hamburgo.

A suplementação de probióticos pode auxiliar em várias patologias: Redução dos sintomas da Rinite Alérgica e da Asma em crianças (quando a flora intestinal está equilibrada, a mucosa intestinal, que funciona como uma barreira, está íntegra, impedindo a passagem de outras bactérias e substâncias indesejadas para a corrente sanguínea o que poderia desencadear reações alérgicas); Redução dos Sintomas da Artrite Reumatoide ; Alívio dos Sintomas da Síndrome do Intestino Irritável; Tratamento e Prevenção da Vaginose Bacteriana; Regula o Processo Inflamatório Cutâneo, prevenindo os efeitos cutâneos causados pela exposição à radiação UV (Sol); Seguro e Eficazez na diminuição dos sintomas da Colite Ulcerativa; Dermatite Atópica Infantil; entre outras situações.


Publicidade

Os probióticos são importantíssimos na gestação e lactação. As bactérias da microflora do bebê dependem da microbiota da mãe, do tipo de parto e do ambiente. A concentração e variedade de espécies de microrganismos são fortemente influenciadas pela amamentação. Um estudo citado no Jornal de Pediatria em 2005 sugere que a incorporação de probióticos na dieta da mãe, antes do parto, e na dieta da criança , enquanto amamentada, pode influenciar positivamente no processo imunitário intestinal. "Inclusive, em UTI Neonatal estão fazendo uso de probióticos com os bebês", informa o farmacêutico.

Os probióticos podem ser administrados na forma de cápsulas ou em sachês, e o ideal é que sejam cinco cepas (tipos), podendo este número ser aumentado por indicação do médico ou nutricionista. “Na Proderma trabalhamos com probióticos e temos percebido um crescimento na procura como tratamento ou prevenção”, completa Huyer.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS