NOVO HAMBURGO

27°C

Publicidade

Vice-prefeito de Novo Hamburgo, Antônio Fagan deixa PPS

Pedido de desfiliação foi entregue na tarde desta quinta-feira ao lado de outros agora ex-filiados ao PPS

17 de Agosto, 2017 às 15:06

Vice-prefeito deixa PPS após atritos com a vereadora Patrícia Beck. CVNH/Divulgação

O vice-prefeito de Novo Hamburgo e atual secretário municipal da Saúde, Antônio Fagan, não é mais filiado ao PPS. Ele entregou sua carta de desfiliação no começo da tarde desta quinta-feira em mais um capítulo no embate envolvendo a presidente da Câmara de Vereadores, Patrícia Beck, agora ex-colega de partido. Cerca de outras 15 pessoas estão acompanhando Fagan e deixando a sigla - algumas com cargo no governo de Fátima Daudt (PSDB) e outras sem cargos. Entre elas, o ex-assessor de gabinete de Patrícia, Raul Becker, e Iara Beck, que foi muito ligada à vereadora. "Este grupo ficará até o final do ano sem partido. Em 2018, vamos definir qual será nosso rumo", destacou Fagan.


Este afastamento é reflexo do embate envolvendo ele e Patrícia Beck. O PPS ficou à frente da área da saúde no governo Fátima Daudt, mas começaram a ocorrer conflitos entre as duas lideranças. O desgaste só foi aumentando, com o Executivo fazendo algumas represálias à vereadora. No começo desta semana, houve a ruptura definitiva do Executivo com a chefe do Legislativo. No embalo, a Executiva do PPS decidiu se afastar oficialmente do governo municipal. Para Fagan, com risco de ser expulso da sigla, não restaram muitas opções. "Entrei no partido com um ideal partidário. Isso desabou a partir do começo deste ano, com algumas pessoas querendo colocar em prática um projeto de poder", analisa.


Fagan encara com tranquilidade as críticas que vem recebendo na área da saúde e acredita na gestão que vem sendo realizada. "Algumas pessoas não entenderam a transição que estamos passando. Não é fácil mudar um pensamento, ainda mais nesta área da saúde. Estamos preparando a cidade para dias melhores e esse processo estará concluído no segundo semestre de 2018", destaca Fagan. "Tudo que muda gera desconfiança. As pessoas precisam ser convencidas. Estamos trabalhando com ferramentas e práticas que irão beneficiar e melhorar o atendimento à população", comenta.


Publicidade


Também atuando como médico do Samu, Fagan destaca que a desfiliação do PPS foi a maneira de seguir tocando os projetos do governo Fátima Daudt. "Tenho muito respeito pelo partido, mas nosso projeto maior é com a comunidade de Novo Hamburgo. Estamos trabalhando fortemente para termos uma saúde resolutiva, trazendo soluções com eficiência para as pessoas. Nosso governo tem muito a oferecer", completa Fagan. Ele destaca que Cláudia Schenkel seguirá no comando da Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo (FSNH), reforçando que esta é uma definição que passa pela prefeita.


O Portal Martin Behrend trouxe ontem a visão de Patrícia Beck e Fátima Daudt sobre a situação envolvendo o PPS. As manifestações podem ser conferidas no link: http://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/i...


Repetindo o que foi escrito ontem: Fátima e Patricia são chefes de poderes. Vão se cruzar muito por eventos e solenidades. Tomara que esse desgaste fique no campo pessoal ou de partidos. Para o bem de Novo Hamburgo, a administração não pode ser afetada por esses atritos. Se isso ocorrer, será uma tremenda irresponsabilidade

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS