NOVO HAMBURGO

13°C

Publicidade

Protagonismo ou estabilidade financeira? Os dois motivos se completam

A polêmica e milionária transferência de Neymar Jr. do Barcelona para o Paris Saint-Germain se explica em dois motivos

08 de Agosto, 2017 às 15:07

Neymar Jr. em Paris: uma transferência para a história do futebol mundial. Divulgação

A tônica da última semana no noticiário esportivo brasileiro e mundial resumiu-se a milionária, e nunca antes vista, transferência do atacante brasileiro Neymar Jr. do badalado Barcelona, da Espanha, para o Paris Saint-Germain, da França, por incríveis R$ 820 milhões de reais, a maior transação da história do futebol mundial.


Após a confirmação da transferência, muito se perguntou: mas por que Neymar deixou um dos melhores times do mundo, onde formava o maior e melhor trio de atacantes do mundo? Por que ir jogar em uma equipe forte, mas que dificilmente conquista um título continental?


Para muitas pessoas, o objetivo do atacante brasileiro era apenas um: deixar de ser um dos três atacantes do Barcelona para ser “O” atacante, para ser a maior estrela de um time, afinal, no time catalão ele sempre dividiria os holofotes com Messi e Suarez. Sim, esse foi um dos motivos da saída de Neymar do Barcelona.


Outras milhares de pessoas, algumas sem nenhuma responsabilidade em suas opiniões, afirmaram, categoricamente, que o jovem atacante não pensou em nada além do dinheiro e aceitou sem pensar a proposta dos franceses. Sim, Neymar Jr. também analisou e a questão financeira interferiu em sua decisão.


Publicidade


Analisando vários fatores que o mundo do futebol está envolvido, é possível afirmar que os dois fatores acima elencados se completam e explicam, talvez até resumem, essa milionária transferência. Eis alguns pontos: Neymar está entre os cinco, talvez entre os três melhores jogadores do mundo e sua carreira tem, no mínimo, dez anos de duração, porém, nem todos em alto nível. Ele ainda não recebeu esse título de melhor do mundo, ele ainda não é campeão mundial por seu país. Pois bem, o protagonismo de ser o jogador mais importante do time ele jamais teria no Barcelona, o que vai acontecer agora.


Neymar dominará as ações de sua equipe e, em caso de títulos expressivos, a chance de ser escolhido o melhor do mundo aumenta consideravelmente, mesmo talvez ele não objetivando isso. O protagonismo irá lhe garantir jogar em alto nível e, na Copa do Mundo de 2018, estar totalmente comprometido em ajudar a Seleção Brasileira a conquistar o hexacampeonato.


Sim, mas e o dinheiro? Pois bem, jogador de futebol não tem uma carreira até os 50 anos de idade e precisa “fazer o pé de meia” enquanto está jogando em alto nível. Ah, mas o Neymar no Barcelona já não ganhava o suficiente para garantir estabilidade financeira por inúmeros anos? Sim, isso é fato. Mas a oportunidade de melhorar tudo isso, de poder receber um dinheiro maior e aumentar seu projeto de vida, seu projeto social em Santos e tantos outros fatores foram decisivos para o brasileiro aceitar este novo contrato.


Levando em conta esses dois fatores, é possível concluir que aqueles que afirmaram que Neymar aceitou a negociação por protagonismo estavam corretos, mas aqueles que afirmaram que foi pelo valor financeiro também estavam corretos. A pessoa, o profissional Neymar Jr., aliou as duas possibilidades em busca de um futuro de sucesso e tomara que nesse futuro de sucesso esteja o título de campeão do mundo com a Seleção Brasileira. Seria a coroação de um futebol leve e vistoso que Neymar Jr. pratica.

Autor

Cássios Diogo Schaab

Saiba mais

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS