NOVO HAMBURGO

36°C

Publicidade

Jornal de Campo Bom sofre covarde ataque anônimo

Covardia e falcatruas crescem: ataques anônimos e de perfis fakes devem ser condenados pela sociedade

02 de Agosto, 2017 às 16:14

Panfleto que circulou pelas ruas de Campo Bom nesta terça-feira. Reprodução

Atacar jornalista e o Jornalismo não é novidade. Contudo, estas práticas covardes ganharam reforço com o surgimento da internet. Perfis fakes nas redes sociais, personagens falsos para esconder agressores e até mesmo colunistas de jornal que não existem são realidade no Vale do Sinos. É o retrato da covardia e da falcatrua. Ora, se vivemos num país livre, com liberdade de imprensa e liberdade de expressão, qual o receio de aparecer? É porque deve ser um bandido ou alguém muito sujo. Quem precisa se esconder para emitir opinião não merece respeito.


A mais recente vítima de ataque anônimo é o Jornal A Gazeta, de Campo Bom. Na manhã desta terça-feira, um panfleto anônimo circulou pelo município trazendo acusações envolvendo o jornal, o colunista Mauri Spengler e integrantes da administração do prefeito Luciano Orsi (PDT). O material foi enviado através dos Correios, postado no dia 25 de julho, no município de Araricá. O remetente é “João da Silva”, morador da Avenida João XXIII, 764 – endereço do Cemitério Municipal. A Polícia Civil está investigando o caso. No panfleto, aparecem valores investidos pelo governo Orsi em publicidade no jornal.


O que mais impressiona é que pessoas que fazem discurso nas redes sociais contra a corrupção, a favor da ética e da transparência, seguem e compartilham perfis falsos ou de fantasmas. O que esperar de cidadãos que patrocinam perfis de falcatruas, que se escondem atrás de um computador para falar mal dos outros, debochar, diminuir? Reitero a pergunta: vivemos num país com liberdade de imprensa e liberdade de expressão, então, para que se esconder? A explicação é uma só: deve ser bandido ou baita falcatrua.


Publicidade


Críticas à imprensa são necessárias. Criticar veículos de comunicação não está proibido. Fiscalizar o trabalho da imprensa faz parte - até pra ver se a mídia não está repetindo práticas que ela critica no Poder Público, por exemplo, em relação aos gastos com o dinheiro público. Jornalistas também erram, até porque são seres humanos. Os leitores, ouvintes, espectadores e internautas é que definirão a qualidade do trabalho do jornalista e do veículo em que ele trabalha.


O que não se aceita é a covardia de anônimos. É esse tipo de gente, que se esconde para falar dos outros e agredir sem constrangimento, que deve ser combatida e denunciada. O esgoto é o lar para quem tem esse tipo de comportamento – e impressiona como tem ratos por lá.


Ah, você poderá ser a próxima vítima de um ataque anônimo. Depois não adianta fazer beicinho e reclamar.

Autor

Martin Behrend

Saiba mais

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS