NOVO HAMBURGO

25°C

Publicidade

Prefeitura de Gramado vai reparar infraestrutura em parque turístico e evita devolver R$ 2 milhões a Brasília

Prazo foi concedido pelo Ministério do Turismo após a apresentação de um relatório técnico sobre o local

13 de Julho, 2017 às 16:31

Estrutura se encontra em estado de deterioração. Fotos Carlos Borges/Prefeitura de Gramado

Prestes a devolver pelo menos R$ 2 milhões ao governo federal por conta da deterioração da infraestrutura do Parque dos Pinheiros, a Prefeitura de Gramado conseguiu prorrogar o prazo contratual para recuperar o empreendimento até 30 de dezembro deste ano. O prazo foi concedido pelo Ministério do Turismo após a apresentação de um relatório técnico sobre o local e das tratativas, desde o início de 2017, entre a atual administração, a Caixa e o próprio Ministério.


Alçado como um complexo turístico para os visitantes e para a comunidade, após quase uma década de obras a população da cidade sequer conhece a infraestrutura existente no Parque dos Pinheiros, localizado no bairro Mato Queimado, junto à barragem. Ao assumir a prefeitura este ano, a atual gestão encontrou um empreendimento deteriorado, impossibilitado de ser utilizado pelo público, um contrato prestes a encerrar e ainda a perspectiva de devolver dinheiro dos cofres municipais ao governo federal.


“O Parque dos Pinheiros foi uma prioridade desde o início. Em janeiro, iniciaram nossas reuniões e tratativas com a Caixa e com o Ministério do Turismo, pauta permanente durante as viagens a Brasília”, explica o prefeito Fedoca – João Alfredo de Castilhos Bertolucci (PDT). Nesta quinta-feira (13), a prorrogação do contrato com a Caixa para a realização da manutenção foi tema de uma coletiva de imprensa no próprio parque. “Nossa intenção é dar transparência a este assunto, apresentando a situação atual do parque, e prestar contas à comunidade”, enfatizou Fedoca.


Em 2007, um contrato firmado entre o município, o Ministério do Turismo e a Caixa previa o repasse de R$ 1.950.000,00 para a implantação de um projeto de infraestrutura turística no parque dos Pinheiros, que contemplava pórtico de acesso, estacionamento, vias internas, recepção ao turista com lojas, sanitários, café, trapiche, rede de água e sistema de esgoto. A contrapartida do município era, na época, de R$ 484.093,23. O contrato previa ainda que era de responsabilidade do município licitar a obra e promover a manutenção da infraestrutura.


Publicidade


Porém, ao longo dos anos, as obras que eram entregues pelas empresas contratadas não receberam a devida conservação e, em agosto de 2016, a Caixa aponta por meio de ofício que o empreendimento no Parque dos Pinheiros apresenta sinais de deterioração em função da falta de manutenção permanente. Visitas técnicas da Caixa Federal haviam constatado problemas no café localizado na beira do lago e nas estruturas de madeira, lojas, esquadrias e deck de madeira.


No mesmo documento, a Caixa afirma que o município deve recuperar os equipamentos até a data final de vigência do contrato - 30 de dezembro de 2016 - sob pena de restituição dos valores à União e instauração de Tomada de Contas Especial.


Beneficiado pelo Decreto 8.915/2016, assinado pelo presidente Michel Temer, que prorrogou o término da vigência dos contratos de repasse celebrados entre entidades da administração pública federal e da administração pública municipal, o contrato foi prorrogado até 30 de junho de 2017, dando tempo hábil para a administração buscar alternativas para a situação.


Assim, ao assumir o Executivo Municipal, a atual administração tomou uma série de medidas na tentativa de estabelecer a história do parque ao longo de uma década. Uma comissão de técnicos das secretarias de Governança, Meio Ambiente, Planejamento e Fazenda foi oficializada em abril e analisou todos os documentos e processos que apontassem as responsabilidades e as possíveis soluções para recuperar a área. O grupo realizou vistorias para o levantamento das condições da infraestrutura.


No mesmo mês, a Caixa ratifica o município da obrigatoriedade da conclusão do contrato, e salienta a concessão de uma nova prorrogação, devendo o município pleitear novo prazo de vigência diretamente ao Ministério do Turismo. “O relatório da comissão técnica foi fundamental para conseguirmos a prorrogação deste contrato junto ao ministério, cuja notícia recebemos no final de junho, durante ida a Brasília”, continua o prefeito Fedoca.


O relatório aponta, por exemplo, que a parte elétrica terá de ser toda refeita, bem como o café construído na beira do lago. Também 60% das construções em madeira terão de ser substituídos. O empreendimento, atualmente, não tem licenciamento ambiental.


Com o contrato prorrogado, agora a Prefeitura de Gramado tem seis meses para recuperar a infraestrutura do parque. Os próximos passos são o levantamento de custos das reformas e o processo de licitação dos serviços que devem ser feitos por empresas contratadas. Alguns reparos devem ser feitos pela própria administração municipal.


Histórico do processo envolvendo o Parque dos Pinheiros


- Em 31 de dezembro de 2007, o Contrato de Repasse nº 0247785-05/2007, celebrado entre o Ministério do Turismo, a Caixa Econômica Federal e o município de Gramado previa a transferência de recursos para a implantação de projeto de infraestrutura turística no Parque dos Pinheiros. Por meio da Caixa, o Ministério do Turismo repassou inicialmente R$ 1.950.000,00 para a construção de pórtico, recepção, lojas, sanitários, café, trapiche, trilhas, estacionamento e rede elétrica externa. A contrapartida do município era de R$ 484.093,23. O contrato tinha vigência até 30 de março de 2009, podendo ser prorrogado.


- O contrato previa que era de responsabilidade do município zelar pelos equipamentos e bens e promover adequadamente sua manutenção.


- Em 19 de agosto de 2016, por meio do ofício nº629/2016, a Caixa aponta que o empreendimento no Parque dos Pinheiros apresenta sinais de deterioração em função da falta de conservação e manutenção permanentes, como no café localizado na beira do lago e nas estruturas de madeira, lojas, esquadrias, deck de madeira e trilhas, contatadas por meio de visitas técnicas.


- Por meio do ofício, a Caixa afirma que o município deve recuperar os equipamentos até a data final de vigência do contrato, ou seja, 30 de dezembro de 2016, sob pena de restituição os valores à União e instauração de Tomada de Contas Especial.


- Ainda assim, determinado pelo Decreto nº 8.915/2016, um termo aditivo ao contrato de repasse, assinado em 28 de dezembro de 2016, prorroga a vigência do contrato até 30 de junho de 2017.


- Em janeiro de 2017, iniciam as tratativas da Prefeitura de Gramado junto à Caixa Econômica Federal para buscar uma solução para o Parque dos Pinheiros.


- Em 7 de abril de 2017, o Prefeito Fedoca - João Alfredo de Castilhos Bertolucci (PDT), designa uma comissão técnica, composta na sua maioria por servidores concursados, para realizar a auditoria nos contratos e estrutura física do parque, a fim de subsidiar futuras ações.


- Em 26 de abril de 2017, por meio do Ofício nº 0460/2017, a Caixa retifica o município da obrigatoriedade da conclusão do objeto do contrato, e salienta que não possui mais alçada para autorizar uma nova prorrogação, devendo o município pleitear novo prazo de vigência diretamente ao Ministério do Turismo.


- Ainda pelo mesmo ofício, a Caixa volta a ressaltar os sinais de deterioração do empreendimento em função da falta de conservação e manutenção e da necessidade de restituição dos valores liberados pela União, devidamente corrigidos.


- Em 20 de junho de 2017, uma nova vistoria é realizada pela Caixa e volta a constatar que todas as obras previstas foram executadas, porém, a falta de manutenção por parte da prefeitura resultava em descumprimento do contrato.


- Após diversas idas do prefeito Fedoca ao Ministério do Turismo, em Brasília, bem como da apresentação de um relatório técnico, a prefeitura de Gramado conseguiu a prorrogação do contrato de repasse até 30 de dezembro de 2017, formalizada por termo aditivo assinado em 28 de junho de 2017, para a recuperação do empreendimento do Parque dos Pinheiros.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS