NOVO HAMBURGO

36°C

Publicidade

Mexeu com uma mexeu com todas? Cadê as feministas pra defender jornalista vítima do ódio de petistas?

Jornalista da Rede Globo foi molestada, intimidada e agredida verbalmente por militantes do PT dentro de avião

13 de Junho, 2017 às 10:06

Miriam Leitão relatou em sua coluna episódio lamentável envolvendo ódio de militantes do PT. Divulgação

Parece que as feministas só se interessam por determinado tipo de mulher. Só vale se for de algum partido ou de alguma classe social? É o feminismo seletivo, partidário? Só isso explica o quase silêncio e aparente conivência no episódio envolvendo a jornalista da Rede Globo, Miriam Leitão. Ela relatou na sua coluna em O Globo uma série de intimidações e agressões verbais que sofreu por militantes do Partido dos Trabalhadores (PT) durante voo da empresa Avianca, de Brasília para o Rio de Janeiro. “Fui ameaçada, tive meu nome achincalhado e fui acusada de ter defendido posições que não defendo”, escreveu a jornalista. O episódio ocorreu no dia 3 de junho e envolveu mais de dez integrantes do partido.


Miriam destacou que decidiu não reagir ou filmar para evitar confusões. Uma comissária de bordo sugeriu que ela trocasse de lugar, mas a jornalista agradeceu e seguiu na sua poltrona conforme o cartão de embarque. “Durante todo o voo, os delegados do PT me ofenderam, mostrando uma visão totalmente distorcida do meu trabalho... Durante o voo foram muitas as ofensas, e, nos momentos de maior tensão, alguns levantavam o celular esperando a reação que eu não tive. Houve um gesto de tão baixo nível que prefiro nem relatar aqui.”


Miriam também lamentou a postura da equipe da Avianca. “O piloto nada disse ou fez para restabelecer a paz a bordo. Nem mesmo um pedido de silêncio pelo serviço de som. Ele é a autoridade dentro do avião, mas não a exerceu. A viagem transcorreu em clima de comício, e, em meio a refrões, pousamos no Santos Dumont. A Avianca não me deu — nem aos demais passageiros — qualquer explicação sobre sua inusitada leniência e flagrante desrespeito às regras de segurança em voo. Alguns dos delegados do PT estavam bem exaltados. Quando me levantei, um deles, no corredor, me apontou o dedo xingando em altos brados. Passei entre eles no saguão do aeroporto debaixo do coro ofensivo.”.


Publicidade


O Portal Martin Behrend sabe como são essas práticas do PT. Durante o governo do ex-prefeito Luis Lauermann (PT), houve práticas explícitas de censura e discriminação. O Portal foi tratado – ou maltratado – de forma excludente. Tanto Câmara de Vereadores como Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS repudiaram os atos de censura e discriminação praticados pelo partido. Ninguém da sigla jamais pediu desculpas. Eis as reportagens: http://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/id/1576/titulo/camara-de-vereadores-aprova-mocao-de-protesto-por-censura-e-discriminacao-impostas-pelo-prefeito-lauermann e http://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/i...


E agora, cadê as feministas? Cadê a indignação? Quem vai sair em defesa de Miriam Leitão? Mexeu com uma mexeu com todas? Ou só se for companheira? Eita Brasil de falsas moralistas e hipócritas. Detalhe: o PT tem como presidente a senadora Gleisi Hoffmann.


A coluna completa de Miriam Leitão está em http://blogs.oglobo.globo.com/miriam-leitao/post/o...

Autor

Martin Behrend

Saiba mais

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS