NOVO HAMBURGO

24°C

Publicidade

Pietà

A posição em que a Virgem carrega Cristo já adulto é a mesma de uma mãe que carrega seu bebê recém-nascido, acentuando sua condição materna.

14 de Maio, 2017 às 11:00

Pietà, de Michelangelo. Divulgação

Entre tantas relíquias que repousam na basílica de São Pedro, no Vaticano, há uma especial, que nos comove já pelo seu próprio nome: Pietà, ou “Piedade”, feita por Michelangelo em 1499 é uma belíssima escultura na qual a Virgem Maria ampara o corpo de Seu Filho, Jesus Cristo, logo após ser morto na Cruz. A cena representada é, de certa forma, inquietante e tem um significado especial para este domingo, Dia das Mães.


Talvez a primeira coisa que chama atenção é sua beleza estética. O mármore, pedra bruta, ganha os contornos delicados de um véu de seda. As dobras das vestes da Virgem dão um aspecto de movimento e o desenho muscular discreto do corpo de Cristo é de um realismo que impacta. Mas a genialidade de Michelangelo vai além. Maria possui uma feição triste, mas ao mesmo tempo serena. Como sabemos pela Bíblia, a Virgem Santíssima não estava junto das mulheres que foram visitar o corpo de Cristo em sua tumba, no domingo de Páscoa, pois Ela sabia que Cristo ressuscitaria.


Maria foi a única a manter a Fé inabalável na vitória final de Seu Filho sobre a morte. Talvez, por isso, não há desespero ou angústia na cena, mas compaixão. Nota-se em seu semblante e em sua postura uma certa calma em meio a aflição, como se Ela dissesse “Tudo vai ficar bem” com a ternura e a tranquilidade que só as mães possuem.


Publicidade


A posição em que a Virgem carrega Cristo já adulto é a mesma de uma mãe que carrega seu bebê recém-nascido, acentuando sua condição materna. Ali diante de nossos olhos está uma representação do começo e do fim da vida, reunidos sob o nome de “Piedade”. Como não se emocionar?


E tal qual a Pietà de Michelangelo, o Dia das Mães traz em si um profundo significado; a certeza de que por mais que o tempo passe, por mais que os filhos cresçam, por mais que tudo mude... o amor de mãe estará sempre ali, seja de forma presente ou em memória, para nos dar consolo, para nos dar amor. E piedade. Pietà.

Autor

Rodrigo de Bem Nunes

Saiba mais

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS