NOVO HAMBURGO

28°C

Publicidade
RS

Empresa gaúcha usa expressão ilegal e promete corrigir informação no próximo lote de jogo de xadrez

Expressão couro sintético na caixa do jogo é equivocada: ou é couro ou é sintético

24 de Abril, 2017 às 10:34

Capa de jogo de xadrez: empresa promete corrigir a informação em próximo lote

Foi um belo presente de aniversário para um pequeno hamburguense: um jogo de xadrez presenteado pelo avô. Era o desejo da criança de 8 anos se tornando realidade a partir do jogo Xadrez Oficial da tradicional empresa gaúcha Xalingo Brinquedos, de Santa Cruz do Sul. Contudo, uma informação na caixa do jogo chamou a atenção da família: tabuleiro em couro sintético. Opa, couro sintético não existe. Ou é couro ou é sintético.


Essa expressão “couro sintético” é ilegal de acordo com a Lei 4.888, de 1965, conhecida como a Lei do Couro. Essa legislação proíbe o uso de expressões como “couro sintético” ou “couro ecológico”, que destaca que somente produtos oriundos de pele animal podem receber a denominação “couro”. O Portal Martin Behrend já fez outras reportagens sobre o assunto já que esse erro se repete seguidamente, como pode ser verificado numa ação da Gol Linhas Aéreas – http://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/i... - e e de outras empresas que insistem em chamar sintético de couro: http://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/i... e http://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/i... .


O Centro das Indústrias de Curtume do Brasil (CICB) desenvolve um projeto nacional para verificar a comunicação de marcas e estabelecimentos comerciais sobre seus artigos em couro ou material sintético. Anúncios e comunicação verbal relativos a calçados, roupas, bolsas, acessórios, estofados e estofamento automotivo são os principais pontos verificados pelo projeto, que tem por objetivo difundir a previsão legal entre donos de lojas, vendedores e consumidores. Desde 2014, já são 18 mil estabelecimentos visitados e 12 mil infrações encontradas e notificadas.


Publicidade


O CICB, inclusive, segue com sua campanha de mobilização. Uma das principais ações de divulgação e cumprimento da lei que proíbe o uso da expressão “couro sintético” no Brasil está em curso novamente. Trata-se de mais uma edição da Blitz Lei do Couro, que até o final do mês de abril percorrerá comércios atacadistas nas regiões do Brás e Bom Retiro, em São Paulo, para verificar a comunicação de marcas e vendedores sobre artigos em couro ou material sintético. Depois, a ação segue para Minas Gerais e Rio de Janeiro.


A reportagem do Portal Martin Behrend entrou em contato a empresa Xalingo. Foi enviado prontamente o seguinte esclarecimento:


“Agradecemos seu contato e auxílio. A Informação já foi repassada aos setores responsáveis. A nomenclatura era usada erroneamente por orientação do fornecedor. Porém já estamos alterando o produto para o próximo lote, em nosso site também o material será atualizado para Laminado Sintético. Agradecemos seu contato.”


No site da empresa, a informação já foi corrigida e aparece laminado sintético. Mas em sites que vendem o produto, como das Lojas Americanas, segue a informação de couro sintético. Veja as imagens em anexo.


Ah, o aniversariante adorou o jogo e já está utilizando o brinquedo. Que tem o tabuleiro em laminado sintético...

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS