NOVO HAMBURGO

32°C

Publicidade

Professor Luiz Maroneze lançará livro sobre os 90 anos de Novo Hamburgo

O primeiro jornal de Novo Hamburgo, O 5 de Abril, serviu como importante referência para a obra

12 de Abril, 2017 às 15:21

A história do município de Novo Hamburgo ganha mais uma valiosa contribuição para pesquisa e aprofundamento de fatos marcantes. A Universidade Feevale lançará, no dia 18 de abril, o livro Histórias de Novo Hamburgo: 90 anos. A obra, que contará com 300 exemplares para distribuição gratuita, foi idealizada e organizada pelo professor Luiz Antônio Gloger Maroneze e está vinculada ao curso de História da Instituição e ao programa de Pós-Graduação em Processos e Manifestações Culturais da Instituição. O lançamento acontecerá na aula inaugural do Instituto de Ciências Humanas, Letras e Artes (ICHLA) da universidade.


Com o objetivo de resgatar, de forma cronológica, a construção da identidade da cidade, que completará nove décadas de emancipação no dia 5 de abril, professores e pesquisadores da Feevale, ligados às áreas de História e Sociologia, investigaram as diferentes questões históricas, buscando compreender melhor o caminho percorrido pelo município. “Apresentaremos à comunidade hamburguense artigos resultantes do grupo de pesquisa Cultura e memória da comunidade, os quais eram destinados, apenas, às revistas científicas especializadas, ou seja, lidos apenas por um público restrito. Creio que essa socialização dará aos leitores uma visão plural da nossa cidade, mostrando o que vem sendo feito em termos de pesquisa, pois se entende que a Feevale busca colaborar com a construção do conhecimento, também, pela comunidade, ao não se limitar, apenas, ao público universitário”, explica Maroneze.


Publicidade


O professor explica, ainda, quais fontes foram utilizadas na produção do material, entre elas, o pioneiro da imprensa do município. “O jornal O 5 de Abril, por exemplo, foi analisado em muitos artigos, por conta da sua importância histórica nas primeiras décadas do período pós-emancipação. Outras fontes foram exploradas, ainda que raramente, como os arquivos judiciais, as crônicas e fotografias. As diferentes temáticas, como a mulher hamburguense, as identidades relacionadas ao espaço geográfico, o patrimônio da cidade e as políticas públicas, dentre outros temas, dão conta dos novos caminhos seguidos atualmente pela historiografia, fato que enriquece a leitura tanto do leitor comum, quanto dos possíveis estudantes de História ”, finaliza.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS