NOVO HAMBURGO

24°C

Publicidade

Ocorrências policiais em Novo Hamburgo há 70 anos: vadiagem, furto de fatiota, embriaguez, queixa em pensão...

Edição de 10 de janeiro de 1947 do jornal O 5 de Abril traz os registros da Delegacia de Polícia de Novo Hamburgo

14 de Janeiro, 2017 às 15:05

Edição de 10 de janeiro de 1947 do jornal O 5 de Abril traz os registros da Delegacia de Polícia de Novo Hamburgo

Novo Hamburgo é atualmente uma das dez cidades mais violentas do Rio Grande do Sul. Embora o ano de 2016 tenha registrado queda de 36% no número de homicídios e latrocínios, a violência faz parte da rotina da cidade em assaltos, roubos, furtos e agressões. São dezenas de registros semanais onde a criminalidade fica latente.


Em pesquisa no jornal O 5 de Abril de 10 de janeiro de 1947, foi publicada a relação de ocorrências na Delegacia de Polícia do município. Como se percebe, a violência de 70 anos atrás era bem, mas bem diferente do que se tem hoje. Pode se dizer que era uma criminalidade ingênua. Confira a seguir a relação de registros apresentada pela autoridade policial:



Furtos

- Mais uma queixa de furto foi registrada na polícia, e o foi pelo sr. Adolfo Antunes, residente em Hamburgo Velho, que diz lhe terem sido furtados um par de sapatos, duas camisas, um relógio de pulso, uma fatiota azul marinho e 92 cruzeiros em dinheiro. Acrescenta o queixoso que a fatiota se encontrava numa tinturaria, em São Leopoldo, de onde foi retirada pelo gatuno, que suspeita ser o indivíduo de nome Arlindo Zenotto. A polícia tomou as necessárias providências para o indiciado que se acha desaparecido.


- Na Delegacia de Polícia, três hóspedes da Pensão Blankenheim, sita à Rua Júlio de Castilhos, apresentaram queixa de furtos de que teriam sido vítimas no interior da referida pensão. Os queixosos são Ercy José da Silva, vítima do furto de um relógio de pulso marca “Piramide” e 60 cruzeiros em dinheiro; Carlos Hugo Kunz, de quem furtaram em relógio de pulso marca “Meda” e 100 cruzeiros em dinheiro; e, finalmente, Antonio Henrich, que “marchou” com 80 cruzeiros em dinheiro. As vítimas suspeitam de Clodovino Rangel, morados na mesma pensão, que onde desapareceu há dias.


Publicidade



Recolhido ao Hospital São Pedro

Com requisição da policia local, já foi recolhido ao Hospital São Pedro, em Porto Alegre, João Dresch, aqui residente, e que se dá ao vício da embriaguez; Eduardo Souza Dias, ferroviário, residente na Sanga Funda, e Augusto Baptista de Souza, residente no Bairro Rio Branco.



Prisões

Foram presos e recolhidos ao xadrez da Delegacia de Polícia: Mena de Oliveira, Natalícia dos Sabtis e Antônio José de Lima, por embriaguez e desordem; Urbano Carlos de Oliveira, por desordem; Marcilio Maciel, por vadiagem; e Urbano Rodolfo Lindner, por averiguação de furtos.



Queixas

Emilia Müller apresentou queixa alegando que havia perdido um broche de platina, de forma retangular, com uma pedra de brilhante no centro, no trajeto entre sua residência e o Abrigo da Praça 14 de Julho.



Agressões

O sr. Oscar Poisl, funcionário da firma Adams & Cia., compareceu à Delegacia de Polícia queixando-se por ter sido agredido e ferido por Waldewino Dias, por motivos fúteis. A polícia instalou inquérito, tendo o agressor desaparecido.


Na Rua 7 de Setembro, Magnus Friedholdo, residente à mesma rua, após discutir com um menor que, segundo a vítima, tem o sobrenome de Petry, foi pelo mesmo agredido e ferido. Magnus compareceu à Delegacia de Polícia, onde registrou queixa.


Agora, como se não bastassem os furtos que vem se verificando com assiduidade, temos em plena cidade uma quadrilha de assaltantes cujo objetivo é o roubo. É isso que se depreende do assalto sofrido às primeiras horas da noite de quarta-feira última, por um conhecido cidadão aqui residente. Trata-se do sr. João Adolfo Grehs. Transitava ele pela 1º de Março, imediações da Estação Ferroviária. Eram 20,30 horas. Inopinadamente foi o sr. João Adolgo Grehs assaltado por três indivíduos, um dos quais agrediu-lhe fisicamente, enquanto os outros dois revistavam seus bolsos na intenção clara de saquear-lhe. Os assaltantes, porém, não lograram seu intento, pois a vítima, na ocasião, não trazia dinheiro. O assalto produziu alarme, acorrendo ao local diversas pessoas cuja aproximação pôs os assaltantes em fuga. O sr. João Adolfo Grehs, que apresentava um ferimento no lábio superior, compareceu à Delegacia de Polícia, onde declarou ter reconhecido entre os assaltantes um indivíduo conhecido pelo sobrenome de Flores. A polícia, tomando conhecimento do caso, trabalha ativamente no sentido de descobrir os meliantes.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS