NOVO HAMBURGO

25°C

Publicidade

Na eleição de Carlos Armando Koch como prefeito, teve seção anulada e nova votação dois meses depois

Eleição foi em 15 de novembro de 1947, mas eleitores da 95ª seção precisaram voltar às urnas em 11 de janeiro de 1948

15 de Novembro, 2016 às 10:46

Edição de 16 de janeiro de 1948 do jornal O 5 de Abril trouxe manchete confirmando a vitória de Carlos Armando Koch

A “tradição” de Novo Hamburgo ter votação suplementar ou complementar não é tão recente como alguns podem imaginar. Em 2005, elegendo Jair Foscarini (PMDB), e em 2013, elegendo Luis Lauermann (PT), os hamburguenses precisaram voltar às urnas, uma vez que os pleitos de 2004 e 2012 foram invalidados. Só que essa história de votar duas vezes para eleger um prefeito tem outro episódio marcante. É a eleição municipal de 1947, que acabou consagrando Carlos Armando Koch como vencedor da disputa somente em janeiro de 1948.


Em 15 de janeiro de 1947, ocorreu a votação para prefeito de Novo Hamburgo. Eram candidatos: Carlos Armando Koch (Coligação Democrática), Dr. Casemiro Konarzewski (PTB) e Leopoldo Petry (PRP). Dos 7.200 eleitores aptos a votar, 5.698 compareceram às urnas. Esse pleito também marcou a formação da primeira composição da Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo, que atuou de 1948 a 1951.


Após a apuração, veio a indefinição: a anulação dos votos da 95ª seção (localizada na agência Vargi), na qual “foi encontrada uma sobrecarta a mais”, conforme registro do jornal O 5 de Abril. Sem as indicações dessa seção, Koch estava 190 votos à frente de Dr. Casemiro. Só que os votos em disputa da citada sessão eram superiores à diferença que existia entre os dois primeiros candidatos.


Publicidade


A partir da suspeita de alguma infração, o PTB ingressou com recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que, no dia 8 de dezembro de 1947, decidiu pela anulação dos votos daquela seção e sustou a posse de Carlos Armando Koch como prefeito de Novo Hamburgo. A votação na 95ª seção ficou marcada para 11 de janeiro de 1948. Já no caso do vice-prefeito, como a diferença obtida no pleito era suficiente, não houve a necessidade de nova votação e Guilherme Becker (Coligação Democrática) foi o vitorioso superando José F. Noschang (PTB) e Henrique Biondi (PRP).


A votação para prefeito de Novo Hamburgo em 15 de novembro – sem a 95ª seção – ficou assim:

Carlos Armando Koch (Coligação Democrática) – 2011 votos

Dr. Casemiro Konarzewski (PTB) – 1821 votos

Leopoldo Petry (PRP) – 1540 votos


Assim, em 11 de janeiro de 1948, 228 hamburguenses estavam habilitados a votar na 95ª seção. O pleito foi conduzido sob a supervisão do juiz de Direito dr. Bayard de Toledo Mércio. A expectativa era grande, pois poderia ocorrer a virada do Dr. Casemiro. Compareceram para votar 185 hamburguenses, que acabaram selando a vitória de Carlos Armando Koch. O resultado da eleição suplementar foi: Koch (127), Dr. Casemiro (54) e Leopoldo Petry (1) - além dos votos brancos ou nulos.


Dessa forma, a votação para prefeito de Novo Hamburgo somando os votos de 15 de novembro de 1947 e 11 de janeiro de 1948 ficou assim:

Carlos Armando Koch (Coligação Democrática) – 2138 votos

Dr. Casemiro Konarzewski (PTB) – 1875 votos

Leopoldo Petry (PRP) – 1541 votos


Em relação à formação da primeira Câmara de Vereadores de Novo Hamburgo, foram eleitos: Aloysio A. Friedrich (PRP), Alvício Klaser (Coligação Democrática), Alzir Schmiedel (PTB), João Adriano Wolf (Coligação Democrática), Luiz Oswaldo Bender (Coligação Democrática), Oscar Adams (Coligação Democrática), Oscar Horn (Coligação Democrática), Plinio Arlindo de Moura (PRP) e Ruy Noronha de Mello (PTB). O primeiro presidente da Câmara, em 1948, foi Oscar Adams.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS