NOVO HAMBURGO

25°C

Publicidade

A Segunda Guerra Mundial em Novo Hamburgo: comício celebrou desembarque das tropas aliadas no Dia D

Edição de 9 de junho de 1944 do jornal O 5 de Abril noticiou a comemoração dos hamburguenses com o Dia D

12 de Novembro, 2016 às 16:47

A Segunda Guerra Mundial teve reflexos diretos na vida de Novo Hamburgo. Um dos impactos mais graves foi a perseguição a quem falasse ou escrevesse em alemão, além da censura imposta em relação ao idioma dos imigrantes. À distância, os hamburguenses acompanhavam o desenrolar das batalhas e, com o ingresso de forças brasileiras no combate, o interesse só aumentou. Imigrantes e filhos de imigrantes acabaram torcendo pela derrocada da Alemanha.


No contexto da Segunda Guerra, o dia 6 de junho de 1944 foi marcante. É o chamado Dia D. Nesta data, mais de 150 mil soldados desembarcaram no litoral da França com apoio de centenas de navios e aviões, abrindo espaços para uma nova frente de avanço das forças que lutavam contra a Alemanha de Adolf Hitler. Eram jovens militares dos Estados Unidos, Inglaterra, Canadá e da própria França que conquistavam aquele pedaço de território da Normandia.


Em Novo Hamburgo, assim que a notícia foi confirmada, a euforia tomou conta da população. Tanto é verdade que um comício foi organizado para celebrar este momento considerado decisivo para a derrota nazista. Na edição de 9 de junho de 1944, o jornal O 5 de Abril trouxe na sua capa detalhes dessa mobilização que reuniu centenas de hamburguenses no local atualmente ocupado pelas Bancas. Confira o texto na grafia original:


Grandioso comício em Regosijo da Invasão da Europa – O Povo Exultante de Fé e Civismo


Como sempre, Novo Hamburgo, por meio de suas classes produtoras, suas autoridades, Liga de Defesa Nacional, seu povo, enfim, manifestou o seu entusiasmo e deu publica demonstração de sua grande satisfação pela invasão do continente européu pelas forças das Nações Unidas.


Às 15 horas, com a Avenida Pedro Adams Filho e as praças adjacentes ao edifício do Abrigo repletas de povo, uma verdadeira multidão, no alto deste mesmo edifício, teve inicio a solenidade cívico-patriotica, o comicio em regozijo da invasão da Europa pelas forças conjugadas das Nações Unidas, sob o comando supremo do general Dwight Eisenhower.


Publicidade


Falou, dando inicio ao comício-monstro, o juiz de direito da comarca, dr. Eurico de Souza Leão Lustosa que, em vibrantes palavras enalteceu o patriotismo dos presentes e a pujança das Nações Unidas na luta titanica contra os nazi-fascistas.


Falaram, ainda, além de outros, os seguintes oradores: Dr. Antonio Bemfica Filho, Dr. Parahim P. M. Lustosa, snr. Alfredo Marotzky, dr. Huet J. Bacelar, jornalista Manuel Fernandes de Lima e o snr. Albino Kaufmann. Todos os oradores foram ovacionados a cada instante. Após os discursos, o dr. H. J. Bacelar, em nome da comissão, convidou todos a cantarem o Hino Nacional, o que foi feito com vibrante entusiasmo patriotico.


Findo o canto glorioso do hino patrio, teve lugar um desfile pelas ruas da cidade, indo á frente a mocidade dos Colegios com as Bandeiras das Nações Americanas e, em seguida, o Tiro de Guerra 251 e a massa popular.


Novo Hamburgo, mais uma vez, demonstrou o seu ardôr civico, e o seu apoio á causa da Humanidade. Foi uma pré manifestação da próxima victoria das forças aliadas, das nossas armas. A victoria final, com o esmagamento do nazi-fascismo, breve será um fato e nessa ocasião o povo de Novo Hamburgo terá oportunidade de manifestar, ainda com maior entusiasmo, a sua grande fé patriotica.

RECEBA EM PRIMEIRA MÃO

Sem spams comerciais. Apenas informação.

Publicidade
Publicidade

PARCEIROS